Abelha

oie_27165644wTml9UlJ.jpg

A vida das abelhas é crucial para o planeta e para o equilíbrio dos  ecossistemas.

Mesmo antes do ser humano existir, estes heróis já por aí voavam.

Estima-se que as primeiras abelhas tenham surgido com o  surgimento das primeiras plantas que produziam flores no período  geológico conhecido como o Cretácico (à cerca de 130 milhões de  anos atrás). Evoluindo a partir de um antepassado comum às  vespas.

O fóssil de abelha mais antigo que se conhece tem 74 milhões de anos, embora seja de uma espécie de abelha muito diferente das atuais, e já extinta. Também foram encontradas abelhas idênticas às atuais em pedaços de Âmbar que remontam a 42 milhões de anos atrás.

E desde então, a sua existência tem sido sentida.

Sempre atarefadas, a maioria das abelhas que encontra são intituladas de abelhas operárias, estas abelhas fêmeas são incapazes de reproduzir, no entanto são aquelas que todas as tarefas realizam para o sustento da colónia.

Para além desta maioria, num enxame de abelhas, existe sempre apenas 1 rainha, e uma pequena parcela de zangãos na primavera.

A rainha é a única fêmea fértil da espécie.

Essas abelhas fazem muito mais do que ferroar, pelo contrário, esse nem é um objetivo delas. Todas elas se dedicam a trabalhar, desde a limpeza da colmeia, o cuidar da criação, a construção dos favos, a recolha e o armazenamento dos alimentos, a ventilação e guarda do ninho.

Com um grande impacto ambiental. E de grande interesse para os humanos.

Abelha Protetora

Polinização

Poucos sabem que a missão mais importante das

abelhas é a Polinização.

A verdade é que nem elas o sabem, no entanto, são responsáveis por 80% da polinização alimentar mundial.

Nos dias que correm, a abelha, tal como outros insetos,

e muitos outros animais, está cada vez mais ameaçada,

e cada vez mais se sentirá a falta delas.

A começar pela diminuição da abundância das plantas, quer selvagens quer de produção, a diminuição da produção de frutos e legumes pelas mesmas.

Depois a consequente diminuição de animais, sendo herbívoros ou carnívoros, e o impacto que terá na alimentação do próprio humano.

A uma escala global seria uma catástrofe.

A melhor maneira de proteger as Abelhas é conhecê-las e apreciar o seu imenso trabalho no Planeta. 

Abelha Sagrada

 

Muito procurado, no paleolítico, pelo homem primitivo.

E usado na Mesopotâmia pelos Sumérios,

Por volta de 5000 a.C., o Mel, veio a estimular civilizações futuras a manterem a sua fonte mais perto de si.

Desde os tempos egípcios, onde eram criados

jarros de barro para manter as abelhas, até à

idade média, onde o consumo de mel já era global.

 

Um produto ancestral, aplicado também na

civilização Grega, e durante o Império Romano na alimentação, na beleza e na medicina.

Sempre difícil de se extrair. Sendo considerada a Abelha como Sagrada em muitas dessas civilizações. 

O Tesouro Dourado

historia-da-apicultura-wiki-mel.jpg

Em várias civilizações a Abelha foi considerada Sagrada, e inúmeros dos seus criadores não suportavam ter que as matar para a recolha do mel, consequentemente, uma prática de apicultura diferente tem sido testada.

Nas primeiras tentativas, foram utilizados recipientes horizontais mais longos que o braço do apicultor onde, no momento da colheita induziam as abelhas para a divisão inferior do recipiente ao deixar entrar fumo na colmeia recolhendo apenas os primeiros favos.

Passados alguns anos, introduziu-se a ideia de recipientes sobrepostos, em que o recipiente de cima pode ser removido. Essa ideia foi sendo alterada ao longo do tempo para que facilitar a colheita de Mel, facilitar a inspecção do enxame. 

Com as descobertas de Reverendo Lorenzo Lorraine Langstroth, em 1851,

e inspirado no modelo de colmeia de François Huber, o próprio criou uma "caixa" para as abelhas

que foi chave para o desenvolvimento da apicultura racional dos dias de hoje. 

{"A World Without Bees | History"} 

Uma entrevista a Jon Hoekstra sobre as abelhas e o que seria se não existissem.

Encontre o original em: