História da marca "A Apicultora"

 

O percurso da cidade ao campo, foi guiado pelo mistério das abelhas e pelos poderes curativos dos produtos por elas elaborado.

 

Imergindo na atividade apícola, rapidamente foi percebido que nem tudo é mel e nem tudo tem verdadeiramente propriedades terapêuticas para a nossa saúde.

A escolha da marca foi um marco importante na diferenciação dos valores que defendemos e que nos trouxeram até aqui. Alimentos genuinamente saudáveis com as propriedades que só as abelhas sabem produzir a partir de plantas silvestres, coletados em ambientes saudáveis, isenta de contaminantes, pesticidas ou águas improprias. Sem adulteração e adicionamento de outros componentes fabricados pelos humanos. Manejo e extração em ambiente limpos e higienizados, respeitando os mais altos valores de qualidade.

Inspirada nas pinturas rupestres encontrada na ‘Caverna de La Araña’, na província de Valência, Espanha.

O mel era colhido de forma natural, e com todas as propriedades, de alta qualidade. O consumo do mel pelo ser humano é algo que remonta ao período Paleolítico Superior. Nos primórdios da civilização, o homem primitivo colhia o mel de uma forma bastante rudimentar.

É, portanto, o que indica as pinturas rupestres encontradas na ‘Caverna de La Araña’, datada de seis mil anos atrás.

A referida pintura mostra um homem pendurado numa videira, carregando uma cesta para colher mel. Uma das suas mãos encontra-se mergulhada no tronco da árvore, examinando os favos de mel existentes no seu interior.